Rss Feed

Xutos & Pontapés... a melhor sexta-feira 13...

Estava de férias na Sertã, quando soube que os Xutos & Pontapés iam dar um concerto no Dia do Concelho de Oleiros, dia 14 de Agosto. Não conhecia muitas músicas, mas era sempre bom ver um bom grupo a tocar, ao vivo, e eu não ia perder a oportunidade de ver os Xutos.
O espectáculo começou à meia-noite em ponto, a hora combinada. A Tournée Sexta-feira 13 estava a arrasar o país, e os Xutos estavam mesmo ali à minha frente. Comecei a reconhecer as músicas, aquelas que toda a gente sabe e nunca vai esquecer: CIRCO DE FERAS, AI SE ELE CAI, À MINHA MANEIRA, MUNDO AO CONTRÁRIO, NÃO SOU O ÚNICO, MARIA, HOMEM DO LEME, entre outras. Reparei que conhecia mais músicas do que me lembrava antes.
Com uma voz impressionante, forte e afinada, Tim foi o grande herói da noite. Ele encanta o público com as suas músicas, com a maneira como as canta, como vibra com elas e faz o público vibrar. Os Xutos marcam vinte e sete anos de grande Rock no país. Os Rolling Stones à portuguesa, A MELHOR BANDA DE ROCK EM PORTUGAL. Tim, Zé Pedro e Kalú estão juntos desde a formação da banda; desde aí nunca pararam e não pararão, decerto, agora, de encantar o público português. São músicas que nos marcam desde sempre.
A maneira como Tim fascina o público, a cantar, é inesquecível. É de poucas falas, mas eu concluí que a conversa não é necessária numa boa banda. Por exemplo, dias antes, vi Rui Veloso ao vivo em Sta. Cruz. Ele encanta o público com as suas palavras: com o que lhe diz e com o que canta. É a sua maneira de o cativar. Mas os Xutos não precisam disso. Basta-lhes cantar e fazer vibrar.
Nota-se que fazem aquilo por gosto. Cantam e encantam por gosto. A guitarra eléctrica, de Zé Pedro, o baixo e a voz, de Tim, e a bateria, de Kalú, juntamente com a voz de coro e outras guitarras, formam um som espectacular. Há quem diga que é muito barulho, até em exagero, mas é esse som fantástico que faz dos Xutos o que eles sempre foram, são, e sempre serão.
As pessoas, em pé em frente ao palco (talvez umas quatrocentas), vibravam com o espectáculo e cantavam as músicas, acompanhando a banda. Viam-se braços no ar, a bater palmas ou não, sempre a acompanhar cada passo do concerto. Gritavam “SALTA TIM, E SALTA TIM, OLÉ, OLÉ”, e ele saltava. A tocar, tocava como um verdadeiro cantor de Rock. E é isso que ele é.
Com alguns problemas técnicos pelo meio, sobre os quais só nos restava rir, o concerto demorou duas horas, e o público parecia não querer abandonar o local. É verdade que cheguei a casa às três da manhã, e que, antes do concerto, tive que aturar um grupo de múcica pimba que não queria, mas, confesso, VALEU A PENA. Pelos Xutos, e pelo maravilhoso espectáculo que vi, VALEU A PENA.
Tim é o Homem do Leme, e os Xutos são os marinheiros do melhor navio que navega nos nossos corações. Eles fizeram um espectáculo à sua maneira, e à nossa, também. A melhor sexta-feira 13 de sempre...

0 comentários: